12 de setembro de 2007

Ética e leis wiccanas



Ética Wiccana

"Se não ferir ninguém, faça o que quiser". Isto serve para nos lembrar que existem varias conseqüências para nossas ações e nós devemos sempre considerar todos os resultados possíveis antes de agirmos. O circulo wiccano nos força a agirmos de maneira correta, pois se não fizermos, as próximas partes se aplicarão.

"Tudo que fizer voltara a você três vezes" é a balança da religião wiccana. Se um Wiccano segue a lei do três e o circulo wiccano não existe incentivo para que ele pratique o mal.

"Faça com os outros o que gostaria que eles fizessem com você"- isto é usado para reforçar os outros pontos. Estes fazem com que o individuo seja inteiramente responsável pelos seus atos e não possam culpar ninguém mais alem de si próprios por seus erros.

Lei do Poder

O poder não deve ser usado para prejudicar machucar ou controlar outros. Mas se a necessidade surgir o poder poderá ser usado para proteger sua vida ou a vida de outros.
O poder só é usado quando for necessário.
O poder pode ser usado para proveito próprio desde que não prejudique ninguém.
Não é prudente aceitar dinheiro para utilização do poder pois rapidamente perdera o controle das coisas.
Não utilize o poder para ganhos orgulhosos pois isto menospreza os mistérios da wicca e da magia.
Sempre se lembre de que o poder é um presente sagrado da Deusa e do Deus a você, e nunca deve ser mal utilizado ou abusado.
E esta é a lei do poder.

Os 4 Poderes de um Bruxo

São atributos pessoais tradicionalmente necessários para o sucesso no uso da magia, são eles: Conhecer, ousar, Desejar(força de vontade), e calar-se.
A razão destes é bem simples. Nenhum deles funciona sem o outro todos os quatro devem estar presentes para que exista um equilíbrio entre eles. Por exemplo:

Conhecer
- O conhecimento não funciona sem ousadia e o desejo de ver realizar-se a magia.
Ousar
- Ousadia não funciona sem o conhecimento e o desejo de ver realizar-se a magia.
Desejar
- Desejar não funciona sem o conhecimento e a ousadia de ver realizar-se a magia.
Calar-se
- De que adianta todos acima sem a discrição para manter-se calado até que a magia se realize. Revelar sua magia antes de realizada, dissipa seu poder e sua eficácia.
Sendo assim qualquer pessoa que queira utilizar a magia tem que possuir o conhecimento do que esta fazendo, a audácia para fazê-lo, o desejo para controlá-la, e a discrição para que aconteça.


Os 13 Princípios

1. Nós praticamos ritos para nos alinharmos ao ritmo natural das forças vitais, marcadas pelas fases da Lua e aos feriados sazonais.

2. Nós reconhecemos que nossa inteligência nos dá uma responsabilidade única em relação a nosso meio-ambiente. Buscamos viver em harmonia com a Natureza, em equilíbrio ecológico, oferecendo completa satisfação à vida e à consciência, dentro de um conceito evolucionário.

3. Nós damos crédito a uma profundidade de poder muito maior que é aparente a uma pessoa normal. Por ser tão maior que ordinário, é às vezes chamado de "sobrenatural", mas nós o vemos como algo naturalmente potencial a todos.

4. Nós vemos o Poder Criativo do Universo como algo que se manifesta através da Polaridade - como masculino e feminino - e que ao mesmo tempo vive dentro de todos nós, funcionando através da interação das mesmas polaridades masculina e feminina. Não valorizamos um acima do outro, sabendo serem complementares. Valorizamos a sexualidade como prazer, como o símbolo e incorporação da Vida, e como uma das fontes de energias usadas em práticas mágicas e ritos religiosos

5. Nós reconhecemos ambos os mundos exterior e interior, ou mundos psicológicos - às vezes conhecidos como Mundo dos Espíritos, Inconsciente Coletivo, Planos Interiores, etc. - e vemos na interação de tais dimensões a base de fenômenos paranormais e exercício mágico. Não negligenciamos qualquer das dimensões, vendo ambas como necessárias para nossa realização.

6. Nós não reconhecemos nenhuma hierarquia autoritária, mas honramos aqueles que ensinam, respeitamos os que dividem de maior conhecimento e sabedoria, e admiramos os que corajosamente deram de si em liderança.

7. Nós vemos religião, magia, e sabedoria como sendo unidas na maneira em que se vê o mundo e vive nele - uma visão de mundo e filosofia de vida, que identificamos como Bruxaria ou o Caminho Wiccan.

8. Chamar-se "Bruxo" não faz um Bruxo - assim como a hereditariedade, ou a coleção de títulos, graus e iniciações. Um Bruxo busca controlar as forças interiores, que tornam a vida possível, de modo a viver sabiamente e bem, sem danos a outros e em harmonia com a Natureza.

9. Nós reconhecemos que é a afirmação e satisfação da vida, em uma continuação de evolução e desenvolvimento da consciência, que dá significado ao Universo que conhecemos, e a nosso papel pessoal dentro do mesmo.

10. Nossa única animosidade acerca da Cristandade, ou de qualquer outra religião ou filosofia, dá-se pelo fato de suas instituições terem clamado ser "o único verdadeiro e correto caminho", e lutado para negar liberdade a outros, e reprimido diferentes modos de prática religiosa e crenças.

11. Como Bruxos Americanos, não nos sentimos ameaçados por debates a respeito da História da Arte, das origens de vários termos, da legitimidade de vários aspectos de diferentes tradições. Somos preocupados com nosso presente e com nosso futuro.

12. Nós não aceitamos o conceito de "mal absoluto", nem adoramos qualquer entidade conhecida como "Satã" ou "o Demônio" como definido pela Tradição Cristã. Não buscamos poder através do sofrimento de outros, nem aceitamos o conceito de que benefícios pessoais só possam ser alcançados através da negação de outros.

13. Trabalhamos dentro da Natureza para aquilo que é positivo para nossa saúde e bem estar.