30 de janeiro de 2010

Respeito é bom e eu gosto



Respeito é bom e eu gosto
(Por Viviane Lopes)

Saudações!

Gostaria de agradecer a presença dos meus amigos no nosso "Wiccanique", que aconteceu aqui em Ipatinga, MG. Foram poucas pessoas, mas o importante é a participação. E eu fiquei tão empolgada que esqueci de tirar fotos rsrs.

Eu faço estes encontros todo ano desde 2008, mas sempre participamos eu, meu marido e 2 amigos próximos (as pessoas ainda tem tabu com o assunto Wicca).

Bom, vamos ao assunto que me traz aqui hoje: A falta de respeito.

Eu fico indignada com certas atitudes e fico imaginando o que leva as pessoas a tomarem esse tipo de posição em suas vidas. Como já mencionei, tivemos o nosso "Wiccanique" e foi muito bom. Porém, houve um inconveniente que me fez pensar mais ainda na liberdade (ou falta dela) de religião. Estávamos todos reunidos, fazendo nosso ritual, começando nosso contato com os seres da natureza, concentrados mesmo, quando, de repente, chegou um homem dizendo que queria falar conosco e se poderíamos lhe dar atenção. Claro que percebemos que se tratava de uma pessoa evangélica querendo pregar. Então dissemos que nós estávamos celebrando a nossa religião, em contato com a natureza e que ele seria bem-vindo se quisesse participar.

Porém, ele, ao invés de agir com a mesma simpatia com que lhe recebemos, veio logo nos ofendendo. Disse que Jesus tinha um lugar pra nós e que nos libertaria “daquilo” (aquilo o quê?) e, olhando pra camisa do meu marido (do Led Zeppelin) disse: “Eu também já fui roqueiro, já fui um drogado e Jesus me libertou disso.”

Ora, o que ele quis dizer com isso? Que gostar de rock é uma coisa tão ruim que precisamos ser libertados? Que só porque gostamos de rock, significa que estamos drogados? Que estarmos celebrando a natureza é uma coisa ruim? Jesus vai me libertar de quê? Eu não estou presa em lugar nenhum pra ser libertada! Eu já sou livre! Se ele não é, eu não tenho culpa disso.
E mais: o que lhe dá o direito de interromper o nosso ritual pra falar de outra religião? Por acaso eu entro em alguma igreja no meio do culto ou da missa e digo ao pastor, ou ao padre: “pare o culto um minuto que eu quero falar da Deusa pra vocês”?

Isso é uma falta de respeito!

Eu não gosto disso! Eu não entro em igreja nenhuma interrompendo pra falar da minha religião, então não interrompa meu ritual pra falar da sua!

Eu estava observando como nós, wiccanos, somos flexíveis em relação às outras religiões, nós respeitamos todas, mas ninguém nos respeita. Por que será? Será que só nós temos educação? Às vezes penso que sim.
Nós conversamos a respeito disso no nosso grupo e fizemos essa observação, que nós respeitamos todos que são de outras religiões e vamos às suas casas e até visitamos suas igrejas. Porém, as pessoas das outras religiões não aceitam a Wicca e também deixam de ir às nossas casas. Nem sequer passam perto do portão. Conheço gente que atravessa pro outro lado da rua pra não passar em frente à minha casa. Isso é burrice! Falta de usar o cérebro pra pensar que existem várias religiões no mundo e que a dele não é a única. Usam o que eu chamo de “cabresto da religião”. Só enxergam o que querem ver e ignoram tudo à sua volta. Outra coisa que me irrita é o fato deles falarem como se fossem os donos da verdade e nós, os errados.

Nós amamos a natureza e os seres vivos. Compartilhamos, reciclamos, não desrespeitamos ninguém, não maltratamos animais nem pessoas, ajudamos a quem precisa e fazemos muito mais pela nossa terra. E eles, o que fazem? Jogam lixo no chão, chutam um cachorro na rua, queimam as florestas, derrubam as árvores, julgam e condenam os inocentes. Se esse é o conceito de estar certo, então prefiro estar errada. Não me conformo com o fato de que, em pleno século XXI ainda existam pessoas que pensam assim. Parece que a inquisição não acabou e que ainda somos queimadas em fogueiras. Que coisa mais absurda! Não preciso disso! Sou uma pessoa livre e vivo muito bem do jeito que eu sou. Se as outras pessoas não estão satisfeitas com suas vidas não venham descontar em mim. Procure um caminho de paz, como eu fiz. Passem a ver a natureza como sua casa, sintam o vento fresco no seu rosto, abrace uma árvore, adote um bichinho de estimação, sinta a vida ao seu redor. Nós não temos templos fechados porque amamos a natureza, ela é o nosso templo, não uma construção de concreto com pessoas confinadas nela.

Sabe o que eu acho, depois de tudo? Que os outros querem ser livres como nós somos, mas como não tem a nossa coragem, tentam nos intimidar. 

Quer saber? George Bernard Shaw é que tinha razão:
“Liberdade significa responsabilidade. É por isso que tanta gente tem medo dela.”